terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Creepy

"Kurîpî: Itsuwari no rinjin", de Kiyoshi Kurosawa (2016) Belo filme de suspense psicológico japonês, na linha de um "Silêncio dos inocentes", "Creepy" tinha tudo para ser um pequeno clássico asiático, não fossem 2 questões: é muito longo ( 2:10 hrs) e o roteiro faz um retrato completamente ridicularizado dos policiais, que agem da forma mais idiota possível. Todos aqueles clichês de filmes de terror, dos mais vagabundos, acontece aqui com os policias. Se o espectador abstrair essas inverossimilhanças, poderá se divertir e se assustar bastante com o filme. Takakura e sua esposa Yasuko se mudam para uma nova casa, após uma tragédia profissional na vida de Takakura, ex-detetive: ema refém morreu sob os seus cuidados. Traumatizado, ele resolve abandonar tudo e se tornar professor. A esposa Yasuko entrega presentes para os vizinhos, uma forma de desejar boas vindas, mas se depara com a animosidade de todos eles, principalmente de Nishino, casado e pai de uma filha adolescente. Takakura é acionado por um detetive para tomar conta de um caso policial: uma familía desapareceu, e a polícia suspeita de um serial killer que age na região. Muito bem dirigido, com ótimos atores, o filme evita o óbvio na construção do assassino: desde cedo, já sabemos quem é. O que espertamente o roteiro constrói, é como o espectador irá lidar com o assassino, uma vez que ele sabe antes do que os personagens. Mas como falei antes, as atitudes de alguns personagens são extremamente irritantes, a ponto de questionarmos tudo o que estamos vendo. De qualquer forma, a construção do suspense é muito boa, e na parte final a gente realmente fica tenso. Ótima atuação de Teruyuki Kagawa como Nichiino.

Nenhum comentário:

Postar um comentário