sábado, 31 de dezembro de 2016

Liliam, a suja

"Liliam, a suja", de Antonio Meliande (1981) Um dos mais obscuros filmes realizados na Boca do Lixo, "Liliam, a suja" tem um roteiro ousado para a sua época. Cansada de ser assediada sexualmente pelo patrão, a secretária Lilian sai de noite travestida de Liliam, uma serial killer que seduz homens e os mata depois de fazer sexo com eles. O filme é datado, mas por isso mesmo, uma delícia de se assistir. Liliam mata os homens sem piedade, matando com navalha, tiros, facada, veneno e tudo o que lhe vier na mente. Sua mãe ficou paraplégica pois quando Lilian era criança, seu pai batia tanto na mãe que ela se acidentou. Lilian cresceu com sede de vingança contra o machismo. A atriz Lia Furlim manda ver como a protagonista, e se tivesse sido descoberta por Tarantino, com certeza estrelaria algum de seus filmes. Sexy, furiosa, enraivecida, Liliam manda ver na hora de matar suas iscas. O filme mostra uma São Paulo decadente do início dos anos 80 ( o filme é de 81), com regiões undergrounds repletos de inferninhos. "Liliam, a suja", é considerado um clássico do gênero erótico, mas mais do que isso, um alerta para a questão do assédio sexual. Como curiosidade, o título vem da música de "Os titãs", que começavam na época como "Titãs do I6e Iê" e cederam a música para o filme, em versão instrumental.

Nenhum comentário:

Postar um comentário