segunda-feira, 17 de outubro de 2016

The blue hour

"Onthakan",de Anucha Boonyawatana (2015) Escrito e dirigido pelo Tailandês Anucha Boonyawatana, que pelo visto, segue a mesma linha narrativa do cineasta tailandês mais famoso do mundo, Apitchapong Weeresekathul. Assim como em "Mal dos trópicos", um dos filmes mais famosos de Apitchapong, ambos os filmes lidam com o tema da descoberta da homossexualidade e a influência de espíritos sobre esse relacionamento. Tam é um jovem que sobre bullying na escola e em casa por ser homossexual. Um dia, ele marca um encontro de internet em um local abandonado. Assim, ele conhece Phum. Phum diz a Tam que na piscina abandonada, várias pessoas já morrream afogadas e os espíritos vieram buscar as almas. O irmão de Tam é envolvido com uma gangue que age no terreno de um lixão, outrora pertencente à família de Phum. "The blu hour" é um filme muito bonito e sensual, porém estranhíssimo. O que começa como um romance de adolescentes gays, logo caminha para o drama e depois para a atmosfera dos filmes de terror asiáticos, povoado de espíritos. É difícil de classificar esse filme. O filme é bem dirigido, os enquadramentos e a atmosfera são lindos e estilizados. Os dois jovens atores se entregam aos personagens e a gente acredita no tesão entre eles. Para quem quer assistir um filme que termine com a idéia fechada na última cena, melhor se afastar. Aqui o desfecho é inconcluso, e deixa o espectador pensar sobre o que acabou de ver. O filme foi exibido em Berlin 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário