quarta-feira, 12 de outubro de 2016

O filho eterno

"O filho eterno", de Paulo Machline (2016) Drama baseado no livro de sucesso escrito pelo curitibano Cristóvão Tezza, que narra o desafio de um pai em aceitar o seu filho que nasceu com síndrome de down. No teatro a adaptação fez um enorme sucesso, através de um monólogo apresentado pelo ator Charles Fricks. Para o cinema, Paulo Machline, realizador de "Natimorto" e " Trinta", convidou Marcus Veras, mais conhecido pelo grande público pelo seu trabalho de comediante. Esse foi o maior desafio do filme, mais até do que falar sobre o tema da aceitação dos pais diante de um filho portador de down. Desafio feito e cumprido com louvor por Veras, que alcança bela nota dramática, sem carregar no melodrama, que teria sido uma aposta mais fácil para o ator em relação ao roteiro, evitando o sentimentalismo. Debora Falabella confere dignidade e força no papel da esposa que diferente do marido, aceita o filho como ele é. O jovem Pedro Vinicius, no papel do filho, é bastante comovente e espontânea. Recomendado para quem quer assistir um projeto bonito e que busca um olhar e mensagens humanistas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário