terça-feira, 18 de outubro de 2016

O Shaolin do sertão

"O Shaolin do sertão", de Halder Gomes (2016) O cineasta Halder Gomes, que realizou o grande sucesso 'Cine Holliudi", retorna ao circuito com "O Shaolin do sertão". Idéia de Halder ( o Shaolin já era apresentado como trailer dentro do filme em "Cine Holliudi"), teve o roteiro escrito por L. G. Baião. Com uma deliciosa premissa, acompanhamos a história de Aluisio Li, um padeiro que mora em Quixadá em 1982. Seu sonho é ser lutador de artes marciais, mas para vencer o lutador Tora Pleura ele acaba aceitando os ensinamentos do Grande Mestre Chinês ( Falcão). É impossível assistir ao filme e não pensar em Renato Aragão. Edmilson Filho, no papel de Aluisio, já havia mostrado todo o seu talento como comediante fisico em "Cine Holliudi", e agora mais do que nunca, a comparação com Didi Mocó é evidente, ainda mais que ele tem como parceiro de cena Dedé Santanna. Edmilson está sensacional, e como companheiro de cena, o igualmente divertido menino Igor Jansen, como o impagável "Piolho". É dele e de Falcão as melhores tiradas do filme, realmente hilárias. O elenco quase todo é local, desconhecido do grande público, mas todos ótimos. Marcos Veras interpreta o vilão, e a jovem Bruna Humus, a mocinha. Como se vê, toda a estrutura do filme é construída em cima dos Trapalhões, que por sua vez, já se inspirava em Chaplin. A cena da luta final me remeteu bastante a "Luzes da cidade" e a brilhante cena de luta de Chaplin. O filme é ágil, dinâmico, a trilha sonora é uma delícia, com regionalismo, e a fotografia ressaltando as cores do sertão com delicadeza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário