sábado, 15 de outubro de 2016

Dolores

"Dolores", de Juan Dickinson (2016) Escrito e dirigido por Juan Dickinson, essa co-produção Brasil e Argentina é um raro drama de época latino, que tem como tema a luta de fazendeiros argentinos para manter a sobrevivência durante a segunda guerra mundial. Baseado em história real, acompanhamos a trajetória de Dolores, uma argentina criada na Escócia, que retorna para a fazenda na Argentina para cuidar de seu sobrinho, após a morte de sua irmã. No entanto, ao rever o seu cunhado Jack, floresce entre eles uma paixão de adolescente. A irmã de Jack recrimina esse possível romance, e para piorar, um fazendeiro vizinho de descendência alemã, Octavio ( Roberto Birindelli), se apaixona por Dolores. Com um belo time de atores, o filme seduz o espectador pela sua sofisticação e bom gosto. Explico: o filme tem uma narrativa próxima aos clássicos dramas americanos dos anos 40, inclusive fazendo alusão a ícones como Lauren Baccal, Clark Gable e Humphrey Bogart nas composições dos personagens. Os figurinos, luxuosíssimos, ajudam a conferir glamour ao filme. Não seria mentira comparar a saga dessa família à de "E o Vento levou", tomando as devidas proporções de orçamento. Aqui, estamos falando de um filme de orçamento pequeno. As reviravoltas na trama, tradicional em folhetins, aqui é apresentado sem nenhum tipo de constrangimento com o gênero do melodrama. O público acompanha com deleite e prazer as artimanhas da narrativa. O carisma da atriz Emilia Attías, no papel principal, confere dignidade ao filme, tal a elegância com que ela interpreta a personagem Dolores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário