segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Assim que eu abro os olhos

"À peine j'ouvre les yeux", de Leyla Bouzid (2015) Drama da Tunísia, vencedor de vários prêmios internacionais, se passa no ano de 2010, na Tunísia, antes da Revolução de Jasmin, que foi um movimento popular que derrubou o Governo ditatorial de Ben Ali que reinava desde 1987. Farah é uma jovem de 18 anos e que acaba de se graduar. Seus pais querem que ela estude medicina, mas o que Farah quer é cantar em sua banda, cujas letras politizadas assustam sua mãe, Hayet. Na juventude ela também era como sua filha, mas o governo acabou selando o seu destino. Hayet teme por sua filha e faz de tudo para que ela mude sua atitude, mas ela não aceita. Belo drama com duas protagonistas fortes e corajosas, muito bem defendidas pelas atrizes. O filme tematicamente me lembrou de um iraniano chamado " Ninguém lembra dos gatos persas", que também falava da juventude inconformada com a política e com o caos social de seu país. Denso, mas de ritmo lento, " Assim que eu abro os olhos" alerta para uma discussão que toma conta do mundo: inconformismo, feminismo, luta de classes e a falta de comunicação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário