sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Sasha

"Sasha", de Dennis Todorovic (2010) Drama co-produzido pela Amanha e Yuguslávia sobre a saída do armário de um jovem adolescente. Sasha é filho de um casal Yuguslavo que mora em Colônia, na Alemanha. Ele tem um irmão mais velho e um tio e todos moram juntos em uma casa que também funciona como pub. Sasha estuda piano imposto pela sua mãe, que deseja que o filho se torne algo que ela mesmo não conseguiu. Seu pai é bronco e homofóbico. A chinesa Jiao, estudante de violino, é apaixonada por Sasha. Mas ele tem um segredo: é apaixonado pelo seu professor de piano. Essa sinopse é comum a quase todos os dramas sobre adolescentes gays que resolvem sair do armário. A melhor amiga apaixonada, pai homofóbico, conflitos da adolescência. O que difere essa produção é que ela tem um segundo tema: o filme quer falar também sobre o problema da imigração na Europa. Famílias Yuguslavas que moram na Alemanha e precisam se habituar aos costumes liberais da cultura alemã. e tudo isso embalado por uma boa direção, que aposta em enquadramentos criativos e uma fotografia artística que trabalha bastante com focos em primeiro e segundo plano. Para um filme sem grandes ambições, esse componente visual é até arrojado. Outra boa conquista do filme é o bom trabalho de todo o elenco, em especial os atores que interpretam os pais de Sasha, excelentes. O jovem ator Sasa Kekez tem carisma o suficiente para fazer o espectador assistir ao filme, mesmo que no final ele desande por um molodrama forçado. A entrada do elemento do humor também não é orgânico, distoando do tom do filme, principalmente o personagem do tio. A família Yuguslava tem aquele olhar bufônico típico dos filmes de Kusturika, inclusive a trilha sonora colabora para dar esse clima. Nota: 7

Nenhum comentário:

Postar um comentário