sábado, 1 de janeiro de 2011

Prata esquecida


"Forgotten silver", de Peter Jackson e Costa Bostes (1995)

Esse falso documentário é uma pequena jóia do cinema, que eu confesso, jamais havia ouvido falar. Recentemente é que tomei conhecimento, através de um bate-papo entre amigos cinéfilos. Um buraco negro na minha vida de cinéfilo.
" Prata esquecida" é um Mockmentary, ou seja, um falso documentário todo projetado para dar a impressão ao espectador de que estamos vendo algo real.
O filme é apresentado pelo próprio Peter Jackson, que afirma ter descoberto latas esquecidas de filmes 35 mm num velho depósito na casa de uma senhora, chamada Hannah Mackenzie. Ela foi casada com Colin Mackenzie, que Jackson, assustado, descobre ser o autor dos filmes esquecidos.
Jackson manda então restaurar os filmes,e aos poucos, somos apresentados a vida de Colin Mackenzie, um grande revolucionário do cinema Neo-Zelandês, que morreu na obscuridade.
Colin era filho de agricultor, mas sempre teve interesse por mecãnica. Até que ele inventa uma cãmera capaz de registrar imagens em movimento.
Colin foi pioneiro em muitas tecnologias do cienma, mas por infortúnio, ou ele ia preso, ou ele devia uma fortuna, o que impossibilitava dele ficar famoso. Criou o registro sonoro direto em 1908 ( o filme tinha atores chineses, e quando exibido para o público, foi um fracasso, pois ninguém entendia nada da lingua. Colin não tinha ainda idéia de legendas); criou o negativo colorido em 1911, através de plantas exóticas colhidas em uma ilha. Mas foi preso, pois nesse material colorido filmado, havia imagem de uma india desnuda. Ele foi preso por atentado ao pudor.
Colin foi responsavel também por fazer um registro documental de um primeiro vôo de protótipo de avião, antes mesmo dos irmãos Wright, mas esse material nunca foi exibido. E por aí vai: inventou a pegadinha; inventou o travelling, concebeu o close-up; foi pioneiro na elaboração do primeiro longa-metragem neo-zelandês, uma versão de " Salomé". Só que o filme teve muitos percalços, sendo filmado por anos a fio, parando sempre por motivos financeiros. Peter Jackson , através de uma expedição, descobre o paradeiro das latas do filme , e ainda descobre a cidade cenográfica erguida para as filmagens.
O filme é muito divertido, e o mais hilário, é levado a sério. Inclusive, vários diretores, atores e produtores do main stream são entrevistados, para dar veracidade a história, entre eles o ator Sam Neil e o produtor Harvey Fienstein, da Miramax.
Jackson filmou todas as cenas creditadas a Mackenzie, e pelo visto, esse filme de 52 minutos deu muito, mas muito trabalho. Não foi apenas uma brincadeira de galera de cinema, e sim, um filme sério que no final das contas, homenageia o cinema neo-zelândes.
Imperdível para amantes do cinema.

Nota: 8

Nenhum comentário:

Postar um comentário