sábado, 8 de janeiro de 2011

Bravura Indômita


" True Grit", de Joel e Ethan Cohen (2010)

Remake do filme homônimo de 1969, dirigido por Henry Hathaway e protagonizado por John Wayne, que ganhou o Oscar de atuação pelo papel do oficial beberrão " Rooster" Cogburn.
Os irmãos Cohen resolveram trazer o Velho Oeste de volta ao cinema americano, após esse gênero ter permanecido ausente por algum tempo no circuito.
Jeff Bridges incorpora o personagem do oficial meio bronco e polêmico, por ter a fama de matar os seus prisioneiros. O filme conta a história de Mattie Ross, uma menina de 14 anos que resolve se vingar do assassinato de seu pai, morto a sangue-frio por Tom Chaney (Josh Brolin). Ela resolve contratar os serviços de " Rooster", que a princípio não aceita, mas com a insistência da menina teimosa, acaba cedendo. Ela quer que " Rooster" mate o bandido. Paralelo, um pistoleiro texano, Labouef (Matt Damon), também procura o paradeiro do bandido, mas com a intenção de capturá-lo vivo, por um crime cometido na região do Texas. "Rooster" não permite que a menina o acompanhe, mas ela acaba arrumando um jeito de ir junto, pois pretende testemunhar a execução do serviço.
No caminho, o trio segue por um acampamento indígena, e conflitos surgem entre os três, até o iminente encontro com Tom Chaney e sua gangue.
É inegável a homenagem que os irmãos Cohen pregam ao cinema de John Ford, principalmente "Rastros de ódio". Planos gerais, mostrando toda a geografia da região. Cenas noturnas em volta da fogueira. A menina valente ( papel de Natalie Wood em " Rastros de ódio). A longa peregrinação pelo deserto.
A fotografia do mestre Roger Deakins (responsável tb por " Onde os fraocs não tem vez") é algo de espetacular: Cenas de neve, em torno da fogueira, sombreadas pelo contra-luz, são várias as luzes inesquecíveis que Deakins trabalha ao longo da narrativa.
A trilha sonora, evocando os épicos de Ennio Morricone, maravilhosa. A direção precisa, apesar de ser um filme de ritmo muito lento e as vezes cansativo.
O elenco brilha, sem exceção: Hailee Steinfeld, de 14 anos, em sua estréia cinematográfica, mostra que é uma das grandes apostas do cinema. Ela está bárbara com sua personagem difícil , a da menina teimosa e persistente. Jeff Bridges representa o papel do oficial beberrão, uma tarefa fácil, após o seu papel que lhe valeu o Oscar, do cantor Bêbado em " Coração louco". Gostei bastante, apesar de as vezes achar que ele está overacting.
Matt Damon interpreta um pistoleiro introvertido, e está quase irreconhecivel em sua caracterização. O time se completa com Josh Brolin, que só aparece lá pelo terço final, cumprindo com louvor o seu vilão.
É bom ninguém assistir ao filme com muita expectativa, pois podem se frustrar na esperança de assistir a mais uma obra-prima dos irmãos Cohen. É um filme correto, nostálgico, de muita competência técnica e boas interpretações. Ah, e não tem tanta violência gráfica como nos filmes anteriores dos cineastas. É um filme mais família, e não por acaso, o filme foi produzido por Steven Spielberg, que deve ter pedido pros manos segurarem a onda..hehee

Nota: 8

Nenhum comentário:

Postar um comentário