quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Tanna

"Tanna", de Martin Butler e Bentley Dean (2015) Concorrente ao Oscar de filme estrangeiro em 2017, esse filme australiano foi dirigido e escrito pelos cineastas e documentaristas Martin Butler e Bentley Dean. Baseado em história real acontecido na Ilha de Tanna, no Pacifico Sul em 1987, "Tanna" impressiona pela semelhança com a historia de "Romeu e Julieta". Em Tanna, até o ano de 1987, quando aconteceu a história, duas tribos primitivas guerreavam entre si. Para evitar mortes, o chefe de uma tribo ofereceu a sua filha Wawa para o filho do chefe da tribo rival. No entanto, Wawa se apaixonou por Dain, um jovem guerreiro de sua tribo. O casamento por amor era proibido, e o casal resolveu fugir. O pai de Wawa vai atrás dela, pois a tribo rival ameaçou que, caso não entreguem Wawa, eles proclamariam guerra. Filmado com os próprios habitantes da Ilha, "Tanna" impressiona pelo olhar antropológico, e me lembrei bastante dos clássicos de Flaherty, "Nanook, o esquimó", que também escalou esquimós de verdade para o filme, e de "Tabu", de Murnau. Além disso, a extraordinária formação vulcânica da Ilha proporciona momentos de extrema beleza nas cenas de erupção, emanando cores e luzes estonteantes. É um filme que dificilmente fará algum tipo de carreira comercial, pelo seu olhar extremamente etimológico, documental e pouco atraente para o publico acostumado com esse tipo de cinema .

Nenhum comentário:

Postar um comentário