terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Na mira da morte

"Targets", de Peter Bogdanovich (1968) Clássico de 1968, é a estréia de Peter Bogdanovich na direção. Ele era assistente de direção do lendário produtor de filmes B Roger Corman. O Ator Boris Karloff estava sob contrato da produtora de Corman e ainda tinha 2 dias de disponibilidade. Corman então convidou Bogdanovich para escrever um roteiro qualquer, contanto que tivesse Boris Karloff no elenco, e lhe entregou a direção. O resultado é esse drama violento sobre um serial Killer, veterano do VIetnã, que compra armas e sai matando todo mundo que encontra pela frente. Antes, ele mata sua família. No paralelo, temos a história de Byron Orlok, alter ego de Karloff. Ele é um ator veterano que resolve abandonar o cinema, mesmo quando um roteirista lhe entrega um roteiro para ele. Segundo Orlok, a violência dos filmes não lhe agrada. Porém, os caminhos do serial killer e de Orlok se convergirão em um Drive In, durante a exibição de um filme com a presença do grande astro. Com um baixíssimo orçamento, Bogdanovich cria um estilo muito interessante de filmar. Com aquele ar de filme independente feito no estilo guerrilha, o filme assusta pela frieza e crueldade. Fosse hoje em dia, enfrentaria sérios problemas com a Censura, principalmente pelas cenas onde o atirador se esconde e sai atirando em todo mundo em uma auto-estrada e depois no Drive In. A cena dele matando a família é antológica. O filme consta do livro "1001 filmes para se ver antes de morrer", Foi o último filme de Boris Karloff. Nota: 8

Nenhum comentário:

Postar um comentário