domingo, 15 de fevereiro de 2015

A qualquer preço

"I am here", de Anders Morgenthaler (2014) Kim Basinger retorna sua carreira com um drama dinamarquês que com certeza, é a sua melhor performance em toda a sua filmografia. Em uma atuação corajosa em um filme totalmente dark e perverso, Basinger não impõe limites para a sua performance. Visceral, vibrante, ela, aos 61 anos de idade, prova que ainda tem muito o que mostrar para os espectadores. Dirigido pelo dinamarquês Anders Morgenthaler, responsável pelo episódio "K for klutz" do filme de terror "Abs da morte", mantém uma linha de filmes europeus totalmente depressivos e que mostram uma sociedade falida, sem compaixão, perversa, solitária, sem amor ao próximo. Filmes como "A Europa está morta" ou "Import export" revelam o lado mais podre e transgressor do ser humano, capaz de agir violentamente quando se faz necessária a sobrevivência. Basinger é Maria, uma poderosa empresária na Dinamarca. casada com Peter ( Sebastian Schipper. de "Corra Lola Corra"), ela tenta a todo custo ter um bebê. Na última tentativa, ela perde o bebê, e causa, segundo o médico, é sua idade avançada. Proibida d etentar outra gravidez, ela entra num estágio de depressão e paranóia, o que faz seu marido abandoná-la. Maria, totalmente focada em ter um filho, resolve seguir até a Alemanha para comprar um bebê no mercado negro, onde é comum comprar bebês de prostitutas menores de idade. Mas ela acaba entrando em um jogo perigoso que pode arriscar sua vida. Tenso e angustiante, o filme faz um retrato cruel de uma Europa que não se encontra nos cartões postais. A direção de Anders Morgenthaler é certeira, apesar de apostar em elementos fantasiosos que podem fazer alguns espectadores estranharem ( o bebê perdido de Maria fala em off na sua mente). A fotografia mantém em tons escuros a atmosfera depressiva, assim como a trilha sonora. o Elenco de apoio é excelente, com destaque para o anão Jordan Prentice, de "Na mira do chefe". Não é um filme recomendado para qualquer um, devido ao seu baixo astral. Uma pena que não tenha sido comercializado nos cinemas, é um filme forte que botaria Basinger disputando prêmios. Nota: 8

Nenhum comentário:

Postar um comentário