sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Carnaval de almas

"Carnival of souls", de Herk Harvey(1962) Minha curiosidade em assistir a esse obscuro filme B de terror de 1962, foi,após ler uma matéria do jornalista Tom Leão dizendo que Shayamalan plagiou essa pequena obra-prima em 'O sexto sentido". Claro que fui correndo assisti-lo. Pesquisei bastante sobre esse filme antes de ver. Afinal, eu nunca havia ouvido falar dele. Recentemente redescoberto e lançado em dvd pelo Selo de clássicos "Criterion", o filme foi produzido, escrito, dirigido e atuado por Herk Harvey. Sendo o seu único filme, afinal foi um imenso fracasso na época de seu lançamento. Li também que o filme influenciou vários cineastas : George Romero, que anos depois viria com "A noite dos mortos vivos"; David Lynch com "A estrada perdida" e o citado acima, "O sexto sentido". Mencionar o filme de Shayamalan já faz todo cinéfilo saber o que se passará no desfecho desse filme, e o destino da jovem Mary. No início do filme, Maru participa de um racha com outras duas amigas no carro. No outro carro, três rapazes. Ao atravessarem uma ponte, o carro dela derrapa e cai no rio. Após intensa busca, o grupo de salvamento encontra Mary, que sai do rio psicologicamente desequlibrada. Traumatizada, ela acaba indo até uma cidade do interior de Utah, e vai trabalhar como organista de uma igreja. Próximo, existe um parque de diversões abandonado, e ela tende a ir até lá em busca de algo que ela não sabe o que é. Paralelo, uma figura sinistra ( Harvey) surge para Mary, assustando-a , e ela tenta entender o que tudo aquilo significa. Concordo com as referências a Romero e David Lynch. "Carnaval de almas" trabalha com onírico, o surreal e o constante clima de tensão psicológica, onde o espectador não sabe o que acontecerá. A fotografia em preto e branco ajuda a dar uma atmosfera de filme maldito, underground, assustador ( para os padrões da época deve ter sido mesmo de tirar sono de muita gente). As cenas do Parque de diversões são muito bem boladas e a caracterização impressiona. O filme também tem um quê de "Psicose", nas cenas de fuga de carro de Mart. É um filme mito charmoso dentro de sua estrutura de produção B: amadora, pouca grana, registro quase documental. Reza a lenda que o filme foi realizado com apenas 5 técnicos no Set. A registrar também alguns enquadramentos curiosos e ousados para a época, e a trilha sonora, baseada em som de órgãos, de atmosfera sinistra. Nota: 7

Nenhum comentário:

Postar um comentário