quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Quando se tem 17 anos

"Quand on a 17 ans", de Andre Techiné (2016) Vencedor do prêmio do Juri no Festival Outfest, destinado a filmes Lgbts, e concorrendo em Berlin 2016, "Quando se tem 17 anos" foi dirigido e co-escrito pelo veterano cineasta francês Andre Techiné. O filme narra a história de uma família feliz que mora em uma cidade que beira as montanhas geladas em algum lugar da França. Marianne ( a excelente Sandrine Kimberlain) é a única médica local, e mãe de Damien, um jovem de 17 anos. Seu marido está em outro país lutando na Guerra, e constantemente mantêm contato via skype. Um dia, na escola, Damien sofre Bullying de Thomas, também 17 anos, argelino, adotado por uma família. Damien não entende o porquê do bullying. Sua mãe acaba indo atender um chamado na casa de Thomas e descobre que a mãe dele está grávida e precisa ser hospitalizada. Por isso, ela convida Thomas para morar em sua casa até que sua mãe dê à luz. A convivência entre Thomas e Damien, de início violenta, acaba cedendo ao real motivo de tanta discórdia: os 2 se descobrem apaixonados um pelo outro, mas com medo de assumir a sua identidade sexual. Techiné costuma em seus filmes falar sobre a juventude e a descoberta da homossexualidade. Aqui não é diferente. O tema em si já foi bastante visto no cinema. A sua duração é bem longa, quase 2 horas, mas pelo ritmo lento e repetição de cenas, parece ter bem mais. O que o torna digno é a ótima atuação de todo o elenco, principalmente Sandrinne Kimberlain, que alterna momentos de alegria, depressão e alcoolismo. Um belíssimo trabalho, além dos 2 jovens atores. A cena de sexo é ousada, e o filme não tem pudor em mostrar a nudez dos meninos. Bela fotografia e trilha sonora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário