sábado, 18 de fevereiro de 2012

Tão forte e tão perto


" Extremely loud and incredibly close", de Stephen Daldry (2012)

Indicado para o Oscar de melhor filme estrangeiro de 2012, " Tão forte e tão perto" é baseado em um livro best seller.
Oskar (Thomas Horn) é um garoto de 9 anos, que vive com sua mãe, Linda (Sandra Bullock). Seu pai, Thomas (Tom hanks) morreu no ataque do 11 de setembro. Oskar é portador da síndrome de Asperge, e por conta disso, ele tem obsessão por alguma coisa, que quando começa, precisa ir até o fim. Oskar manttém uma péssima relação com sua mãe, a quem ele acusa de ser responsável pela morte do pai. No dia do acidente, Thomas deixou 6 mensagens na secretária eletrônica, e nnguém atendeu. Oskar descobre um dia, uma chave dentro de um vaso escodido por seu pai, e resolve ir em busca de um enigma, que fará com que ele busque todas as pessoas com o sobrenome Black pela cidade de Nova York. Essa busca, que levará muito tempo, fará com que ele conheça pessoas de todos os tipos, e que mudará sua vida para sempre. Junto dele, um velho, (Max Von Sydow), que é o inquilino do apto de sua avó, se embui de acompanhá-lo na aventura.
Belo drama, dirigido por Stephen Daldry, mesmo cineasta de " Billy Elliot" e " As horas". O filme tem um excelente elenco, que inclui Viola Davis, Jefrey Wright e outros veteranos. Porém, o grande problema do filme é o personagem de Oskar. O jovem ator Thomas Horn o interpreta muito bem. Mas por ser portador de Asperge, o personagem se torna praticamente insuportável e irritante, fazendo com que as mais de 2 horas do filme sejam uma tortura. O garoto é chato demais!!!! Apenas nos últimos 20 minutos finais, o menino baixa a bola na resoluução da história, e com a cena de Sndra Bullock, o filme ganha paz e dignidade. A trilha sonora permeia o filme inteiro, tentando trazer comoção a todo custo.

Nota: 7

Nenhum comentário:

Postar um comentário