terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Sete dias com Marilyn


"My week with Marilyn", de Simon Curtis (2012)

Colin Clark é um jovem que mora com a sua família em Londres, 1957. Seu pai trabalha na biblioteca da rainha. Colin é apaixonado por cinema, e seu sonho é trabalhar em uma equipe de filmagem. resolve então largar tudo e pedir trabalho na produtora de Lawrence Olivier (kenneth Branagh). De início, ele não consegue nada, mas devido a sua perseverança, o produtor resolve chamá-lo para trabalhar como 3o assistente de direção nas filmagens de " O príncipe encantado", filme que será estrelado por Lawrence Olivier e Marilyn Monroe, a maior estrela atualmente. Completamente fã de Marylin, Colin não vê a hora de vè-la ao vivo. Assim, quando ela chega, ele é o responsável pela infra que iá servi-la. Marylin (Michelle Willians) chega acompanhada de Arthur Miller, mas a relação dos dois não está bem. Marylin é ovacionada pelos fãs. Porém, a medida que as filmagens se desenrolam, Lawrence Olivier se irrita ainda mais: Ela esquece as falas, não atua como ele esperava, faz todos esperarem horas no set e dá uma de diva. O pior, ela traz consigo uma coach, Paula Strassbeg, que dá aulas de interpretação, que irritam Lawrence. Colin acaba se afeiçoando por Marylin, que por sua vez, se simpatiza com Colin, e faz dele o responsável por tomar conta dela, criando ciúmes em todos: Além de Lawrence, em Lucy, a camareira (Emma Watson), sua pretenente;Milton (Dominic Copper), o agente de Marylin..e outros. Judi Dench interpreta Sybil Thomdike, a atriz veterana que a ajuda nas cenas.
Delicioso retrato de Marylin, por quem me apiedei miseravelmente. Faz também uma excelente definição do mundo doo cinema; os sets de filmagem, as funções técnicas, a questão da direção, do coach...é um excelente retrato do mundo do cinema. A parte técnica é impecável; fotografia, direção de arte, figurino, trilha sonora.
O elenco é um luxo total: além de Michelle, impecável, Kenneth Brabagh também está fantástico. Jude Dench, Dominic Copper, Emma Watson ( A Hermione de Harry Potter), todos estão ótimos em seus pequenos papéis. A direção é segura e charmosa, o ritmo é bom. Enfim, um maravilhoso passatempo, que não faz exatamente um retrato de Marylin como a conhecemos, é apenas um momento de sua vida profisssional e pessoal. Mas já temos indícios da soldiçao, do uso de remédios, do conflito emocional.
Colin Clark acabou escrevendo 2 livros sobre esse seu momento com Marylin.

Nota: 8

Nenhum comentário:

Postar um comentário