quinta-feira, 16 de junho de 2016

Mais forte que o mundo- A história de José Aldo

"Mais forte que o mundo- A história de José Aldo", de Afonso Poyart.(2016) É comum no meio cinematográfico muita gente torcer o nariz quando vê o nome da preparadora Fátima Toledo nos créditos de um filme. Polêmicas à parte, é inquestionável o seu valor de produção quando coloca atores que estavam acomodados a um lugar comum , saírem de sua zona de conforto e apresentarem ao espectador as melhores performances de sua vida. Jovens como Cleo Pires, José Loreto, Rômulo Arantes e Paloma Bernardi surpreendem e calam a boca de todos os seus detratores. A eles, somam-se o talento de Jackson Antunes, Claudia Ohana e Millhem Cortaz, todos os 3 excelente em seus papéis. Somado à fotografia escandalosa de Carlos André Zalasik e ao olhar seguro e estilizado do Cineasta Afonso Poyart, "Mais forte que o mundo" toma de assalto a emoção da platéia. Logo de cara, já diz ao que veio: edição dinâmica, muita ação, tensão, adrenalina e principalmente , o lado humano e dramático de personagens que estão à beira de um surto. A pobreza, demonstrada nas cenas de Manaus, é aliada à uma narrativa que se apoia nos filmes da franquia "Rambo", "Clube da luta" e pasmem, Sergio Leone e Tarantino! Afonso Poyart se apóia em todas essas referências e faz um filme de altíssima qualidade técnica e artística para contar a sua versão da ascenção do lutador de Ufc José Aldo. Entre fracassos, desespero, dramas familiares e muita fome, Aldo faz o que todo lutador e esportista retratado em filmes faz: vai além do seu limite, supera os seus traumas e segue em frente. E pensando bem: o que seriam desses heróis se não fossem seus traumas familiares? Afinal, são eles que os impulsionam. A destacar também a porção cômica do filme, que alivia a barra pesada: Rafinha Bastos e Gero Camilo que interpreta o atendente da lanchonete divertem e mantêm o sorriso constante no espectador. Uma ousadia que Poyart apostou e funcionou. Excelente trilha sonora que alia temas pop e mpb a uma música incidental vibrante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário