sábado, 15 de julho de 2017

O último homem hetero

"The last straight man", de Mark Bessenger (2014) Romance lgbts, que acontece todo em um quarto, durante o período de 12 anos. O filme lembra bastante o recente drama "O passe", baseado em uma peça de teatro, sobre 2 jogadores de futebol que transam numa noite e passam 10 anos se encontrando. Assim como "O passe", "O último homem hetero" [poderia render uma ótima peca teatral. Cooper (Scott Cell) passa a sua última noite de solteiro com amigos homens e contratam uma prostituta. Ao longo da noite, os amigos vão embora e apenas Lewis (Mark Cirillo) permanece. entre uma dose de bebida e confissões típicas de adolescentes, os 2 melhores amigos acabam transando. Cooper, no entanto, se declara hetero, para tristeza de Lewis. Mas eles fazem um acordo. Todo ano, naquele mesmo dia, e no mesmo quarto, eles irao se encontrar para se amarem.Durante esse periodo, Cooper vai cedendo aos encantos de Lewis (beijar na boca, sexo anal), mas tudo indica que a relação terminará mal, pois Cooper se sente mal traindo sua esposa e filho. Todo mundo com certeza irá se lembrar de "Brokeback mountain", e não é para menos: a história realmente é muito semelhante, só que acontece nos dias de hoje. Os 2 atores estao bem, e os diálogos são bem escritos, variando entre momentos de humor e de drama. O filme tem quase 2 horas de duracao, com 20 minutos a menos o filme ficaria muito mais interessante. As cenas de sexo são bem filmadas, sem vulgaridade, e o filme aposta em ousadia nas cenas de nudez. O desfecho que ficou um pouco a desejar. Rodado em baixíssimo orçamento, o filme circulou em vários Festivais do gênero, ganhando alguns prêmios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário