segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Shelley

"Shelley", de Ali Abbasi (2016) Terror psicológico dinamarquês, dirigido e escrito pelo cineasta iraniano Ali Abbasi. O filme segue uma tradição de filmes de terror autorais, como "A bruxa", o polonês "Demons" e "Possessão". São todos filmes de gênero, porém para um público restrito, fora do eixo entretenimento. É curioso observar que esse filme de terror, exibido em Berlin 2016, é uma proposta muito hermética do que seria um filme de gênero. Extremamente lento, com várias pontas soltas no roteiro. Quem quiser assistir a um filme querendo ter explicação para tudo, vai ficar muito irritado. Para quem busca uma busca de linguagem narrativa, sem se ater aos clichês, vai se interessar pelo filme. Protagonizado pela atriz romena Cosmina Stratan, que levou a Palma de Ouro em Cannes pelo filme "Além das montanhas", e exibido em diversos Festivais, o filme narra a história de Elena ( Stratan), uma romena que migra para a Dinamarca para trabalhar como empregada para um rico casal. O sonho dela é juntar dinheiro para comprar um apartamento para ela morar com seu filho pequeno, que ela deixou na Romênia. A mulher, Louise, vive deprimida, e confessa a sua tristeza para Elena: seu sonho é ser mãe, mas ela é estéril. Sabendo do sonho de Elena em comprar um apartamento, Louise propõe que Elena seja incubada com os óvulos de Louise e permita que o bebê cresça em sua barriga. Elena topa. Mas à medida que a gravidez avança, Elena vai se sentindo cada vez mais fraca, enquanto Louise vai ficando forte. Elena tem certeza de que o bebê vai matá-la, e tenta dar fim à gravidez. Um roteiro muito interessante, nitidamente inspirado em "O bebê de Rosemary", de Polansky. Só que agora, o bebê terá um nome: Shelley. Com uma fotografia extremamente escura para os interiores ( inclusive em várias cenas mal consegui enxergar o que estava acontecendo). é um filme que, de verdade, instiga. Mas o final em aberto deixa o espectador irritado, talvez o diretor quisesse deixar todo mundo atônito mesmo. Vale como curiosidade. E pelos atores, que estão ótimos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário