quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Os sabores do palácio

"Les saveurs du Palais", de Christian Vincent. Festa de Babette no Palácio Presidencial Eliseé. Assim é "Os sabores do palácio", dirigido por Christian Vincent, diretor de filmes medianos, como "As quatro estrelas" e "A separação". Infelizmente, "Os sabores.." também faz parte desse rol de filmes médios do cineasta. Ainda bem que existe a atriz Catherine Frot ( do excelente "Ao lado da pianista") no papel de Hortense Laborie, chefe de cozinha que trabalhou para o Presidente François Miterrand durante 2 anos ( o nome verdadeiro da chef era Daniele Delpeuch ). O grande problema do filme, de ritmo lento, é uma falta de um conflito verdadeiro, que sustente os 95 minutos do filme. Para se ter uma id;eia, o maior "conflito"da chef Hortense é o duelo que o chef da cozinha geral trava com ela, por ela estar chamando a atenção do presidente para as suas iguarias especiais. Sim, através desse duelo o filme quer mostrar também a questão do poder e do machismo dentro do ambiente do palácio. Mas é pouco para sustentar a atenção do espectador. Resta a nós, pobres mortais, nos deliciarmos com as iguarias culinárias criadas pela Chef. Uma a uma, elas são apresentadas. Algumas confesso, de gosto e paladar duvidosos, mas de beleza indiscutível. Para piorar, o roteiro se divide em 2 tempos: o atual, mostrando a Chef trabalhando em uma estação na Antartida, e 4 anos antes, quando vivia dentro do palácio. Essa narrativa da Antartida é guiada pela personagem d euma repórter australiana, curiosa pela vida da cozinheira real. Porem, essa parte é justamente a que menos interessa na historia. Não combina, não leva a história pra frente e é chata. Tivessem se atido apenas na história da cozinheira e do presidente, divinamente interpretado pelo acadêmico francês Jean d'Ormesson. Ponto pra fotografia, que embeleza os pratos culinários e dá agua na boca. Nota: 6

Nenhum comentário:

Postar um comentário