quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Aqui é o meu lugar


" This must be the place", de Paolo Sorrentino (2011)

" This must be the place", de Paolo Sorrentino (2011)

Cheyenne (Sean penn) é um ex-rock star aposentado, que mora na Irlanda com sua esposa Jane (Frances Mcdormand); Jane é bombeira, e apaixonada pelo seu marido. Cheyenne, por sua vez, está depressivo: afastado de seu pai por mais de 30 anos, e 2 de seus fãs se suicidaram por conta das músicas melancólicas e depressivas que ele fazia nos anos 80. Um dia, Cheyenne recebe uma ligação, dizendo que o seu pai, que mora nos estados Unidos, está morrendo. Chegando lá, encontra o pai morto. Descobre que seu pai passou parte de sua vida à procura de um nazista refugiado no país, e que foi seu algoz. Cheyenne resolve então dar prosseguimento a essa busca, e tendo em seu caminho personagens que irão fazer ele mudar seu modo de ver a vida.
Sensível drama, dirigido pelo italiano Paolo Sorrentino...ele lembra uma estrutura de fábula, alternando momentos de fantasia com realismo. Sean Peen está sensacional, interpretando um personagem estranhíssimo, que poderá incomodar muita gente. Uma referência óbvia a Edward mãos de tesoura e ao vocalista da banda The Cure, Robert Smith. Os diálogos, principalmente os de Cheyenne, são cheios de fina ironia e humor. Tecnicamente, o filme é excelente: fotografia, edição, figurinos, trilha sonora, a cargo do mago David Byrne, de onde o filme retira o título do filme. Aliás, a cena da apresentação do próprio Byrne cantando em um show, é antológica. O filme é um pouco longo, poderia ter uns 15 minutos a menos. E o roteiro tem uma clara quebra de história, parece que estamos assistindo a um outro filme. Mas no geral, o filme é uma experiência gratificante, estranha, com ótimos enquadramentos, mas com certeza desagradará muitos espectadores.

Nota: 8

Nota: 8

Nenhum comentário:

Postar um comentário