domingo, 27 de agosto de 2017

Harmonium

"Fuchi ni tatsu”,de Kôji Fukada (2016) Que filme porrada! Caminhando em uma lenta mas progressiva tensão, esse drama sufocante e angustiante lembra muito o universo de Michael Haneke e Takeshi Kitano. O filme venceu vários prêmios internacionais, entre eles o Grande Premio do Júri na Mostra “Um certain regard” em Cannes 2016 e melhor Filme em Miami. O drama, de 120 minutos, é divido em 2 atos, separados por um hiato de 8 anos. Uma família mora feliz em sua casa. O marido, Toshio, tem uma pequena metalúrgica na garagem de sua casa. A esposa, Akie (Mariko Tsutsui, extraordinária) dedicada `a sua filha de 10 anos, Hotaru, é protestante e muito devota `a religião e aos estudos de piano da filha. Um dia, um homem estranho, Yasaka (Tadanobu Asano, assustador) surge na casa pedindo emprego e moradia `a Toshio, que sem protestar, aceita. A esposa estranha, mas aos poucos vai cedendo aos encantos do estranho, que ensina piano para Hotaru. No entanto, segredos aterrorizantes do passado de Toshio e Yasaka virão `a tona, mostrando quem eles realmente são. De ritmo lento, mas com um andamento que vai deixando o espectador atônito, o filme tem um roteiro minimalista, mas genial, que tem a vingança como tema principal. Mas não uma vingança como os filmes de Tarantino ou Park Chow Woo. A violência aqui é naquilo que a gente não vê, ou o que acha que irá acontecer. O elenco do filme é incrível, alternando momentos de alegria com tensão. O 1o ato começa com planos fixos, bem ao estilo de Michael Haneke, para depois ir incorporando câmera na mão e steadicam. Um filme para quem gosta de historias fortes mas que não se deixa abater pela crueldade das situações impostas aos seus personagens. Quem não curtir um filme com soco no estomago, fique bem distante. A cena que antecede o 2o ato é brutal. Um dado fantástico é o fato do personagem de Yasaka apenas usar camisas sociais brancas bem alvejadas e passadas. A fotografia de Ken'ichi Negishi ajuda a dar essa atmosfera de filme de terror.

Nenhum comentário:

Postar um comentário