quarta-feira, 1 de abril de 2015

Pássaro branco na nevasca

"White bird in a blizzard", de Gregg Araki (2014) Baseado no livro de Laura Kasischke, o filme, dirigido pelo cineasta independente mais pop dos Estados Unidos, Gregg Araki, teve seu debut no Festival de Sundance 2014. O filme narra o drama de Kat Connors (Shailene Woodley, atriz de "Divergente" e "A culpa é das estrelas"), uma jovem de 17 anos que, no ano de 1988, ao voltar para casa, descobre que sua mãe, Eve ( Eva Green), desapareceu, supostamente fugindo de casa. Eve sempre foi bipolar, surtando do nada. O pai de Kat, Brock, fica triste com o sumiço da esposa, mas vai seguindo a vida, após 3 anos de tentativas para descobrir o paradeiro da esposa. Kat acredita que seu namoro com o seu colega de colégio, o sexy Phil, tenha algo a ver com isso, já que sua mãe dava investidas nele, para poder provar que ainda era jovem. Gregg Araki faz aqui um filme bem ao seu gosto: colorido, recheado de jovens bonitos, trilha sonora cult cheia de hits dos anos 80 ( The cure, Tears for fears, Depeche mode, Pet Shop Boys, etc) e visual glamuroso. Porém, diferente de seus outros filmes, aqui tudo parece ser mais narrativo, mais careta, com exceção de algumas cenas do sonho de Kat. Quando Gregg consegue enfiar alguma cena gay no filme essa cena parece forçada. O que interessa na história, na verdade ( o filme tem vários sub-plots e temas), é o despertar sexual da personagem de Kat, e a bipolaridade de Eve. O filme atira para tantos lados que acaba ficando sem foco. Chama a atenção a nudez de Shailene, que fez esse filme quando ainda não tinha estourado na carreira ( o longa foi filmado em 2012. Ela ainda era uma atriz de filmes independentes. Resta saber se ela defende o filme ou se prefere apagá-lo da filmografia, visto que muitas estrelas de Hollywood preferem esquecer cenas ousadas que fizeram no passado. O elenco está bem, apesar de Eva Green não convencer, por conta de sua idade, como mãe de Shailene. De baixo orçamento, o longa foi realizado em 19 dias de filmagem. Eu particularmente ainda considero "Mistérios da carne", de 2004, o seu melhor filme. Nota: 6

Nenhum comentário:

Postar um comentário