quinta-feira, 2 de abril de 2015

Clown

"Clown", de John Watts (2014) Filme de terror protagonizado pela figura que mais mete medo nas pessoas: o palhaço. Kent é um dócil pai de família. Ele trabalha como corretor de imóveis. No dia do aniversário de seu filho Jack, sua esposa Meg pede para que Kent providencia um animador infantil vestido de palhaço. Kent está em uma casa que está sendo recém vendida após a morte do morador. Fuçando o porão, ele encontra uma fantasia de palhaço. Kent resolve vesti-la e animar a festa de seu filho. Na mesma noite, após a festa, Kent dorme com a fantasia. No dia seguinte, ele tenta remover a fantasia, mas ela não sai. Tardiamente, Kent descobre que na verdade, a fantasia está amaldiçoada. Ele vai aos poucos se transformando em um demônio devorador de crianças. A até poucos anos atrás, havia um código para os filmes de terror: não podiam mostrar cenas de assassinato de crianças, era um tabu. Mas isso mudou. Tenho visto vários filmes de terror onde as crianças são chacinadas como animais. Aqui não é diferente. Existe uma cena brilhante, a melhor do filme, que se passa em uma casa de festas infantil. Um menino entra em um labirinto em busca de seu irmão, e a cena é bem construída no suspense e na direção. Outra cena boa é a do sequestro e uma menina. Fora isso, o filme é convencional. O roteiro é bem raso, a idéia do palhaço ser um demônio é boba, e o desfecho mais ridículo ainda. Por essas duas cenas citadas, eu até daria Nota 7, mas pelo conjunto do filme, dou menos. Os efeitos são bons, elenco satisfatório. O que mais me chama atenção é que a produção é do Eli Roth, diretor de "O albergue" e compadre de Tarantino em vários projetos. Bob e Harvey Weinstein, poderosos da Industria do cinema, também ajudaram a bancar esse filme, que teve até o cartaz proibido na Itália. Mas ficaram devendo um filme memorável. Nota: 6

Nenhum comentário:

Postar um comentário