quinta-feira, 9 de abril de 2015

Primavera

"Spring", de Justin Benson e Aaron Moorhead (2014) Produção americana independente, é uma mistura muito estranha de gêneros: Romance, Drama, Comédia e terror. O filme foi rodado nos Estados Unidos e depois na Itália. Na primeira parte, ainda nos Estados Unidos, é um drama. Quando o personagem viaja para a Itália, continua como um romance e vai aos poucos, sucumbindo para um terror com tinhas de humor negro. Não é um filme fácil: para quem é fã de filmes de terror, vai achar um saco, pois o filme é bastante verborrágico e com poucos efeitos e cenas de terror. Para quem curta um Romance, vai estranhar a virada da história. Alguns críticos o compararam a um "Antes do amanhecer", primeiro filme da trilogia de Richard Linklater. Assim como no famoso filme, aqui um personagem americano, Evan, segue dos Estados Unidos para a Itália para fugir de seus problemas. Na cidade de Puglia, ele conhece Louise, uma bela jovem. Entre descobertas e muitos diálogos, os personagens perambulam por Roma, Puglia, Napoles e Pompéia até que Evan se apaixona perdidamente por Louise. Tão apaixonado, que irá aceitar a verdadeira pessoa que existe em Louise. O melhor do filme é a fotografia e as belíssimas locações. Dá vontade de ir correndo para a Itália e conhecer todos esses lugares. O filme em si tem problemas: ele é longo ( quase duas horas, um exagero para uma história dessas), e a história, dependendo do ponto de vista de quem a vê, pode ser mal compreendida. Talvez os diretores/roteiristas quisessem com o filme fazer uma metáfora sobre o valor do AMOR verdadeiro nos perversos dias atuais, onde tudo é efêmero. Existe um amor verdadeiro e puro, que resista às intemperies da vida? Pois para alguns personagens coadjuvantes que buscam apenas o sexo, o destino lhes é ...fatal. Os dois protagonistas ao bons e seguram bem os diálogos longos e as transições dos personagens. O filme ganhou ainda um prêmio de melhor ator para Lou Taylor Pucci (Evan), em um Festival de filme fantástico. Curioso, mas não inesquecível. Nota: 7

Nenhum comentário:

Postar um comentário