quarta-feira, 19 de abril de 2017

Sam esteve aqui

"Sam was here", de Christopher Deroo (2016) Co- produção França/Estados Unidos, "Sam esteve aqui" é um thriller psicológico de horror. Imaginem uma mistura de David Lynch e Wes Craven? Pois foi essa a sensação que eu tive ao assistir ao filme. Muita bizarrice, surrealismo mesclado a uma trama muito comum nos anos 70, a de filmes de quadrilha de sádicos. Sam é um vendedor que percorre a região do Deserto de Mojave, na California, para bater de porta em porta e vender seus produtos. Para a sua surpresa, não tem ninguém em nenhuma das casas. Sam liga para sua casa e sua esposa e filha não atendem. De repente, ele avista no horizonte uma estranha luz avermelhada. A partir daí, fatos estranhos acontecem: Pessoas mascaradas surgem querendo matá-lo, enquanto um radialista o acusa de seu um serial killer que mata crianças da região. Eu poderia citar 2 filmes clássicos dos anos 70 que provavelmente foram usados como referencia para esse filme: " O homem de palha" e "Encurralado". Sao filmes de um anti-herói, que não entende o que está acontecendo. O problema, é que nem o espectador entende. O diretor e roteirista Christopher Deroo deixou todas as pistas para uma possível resolução em aberto. O espectador que entenda o que quiser. Por conta disso, o filme torna-se muito insatisfatório. Nada contra finais em aberto, mas aqui, deixou-se muito a desejar. O filme tem uma atmosfera anos 80, com a clássica trilha repleta de sintetizadores. O ator Rusty Joiner faz o que pode no papel principal, e até faz bem, levando-se em consideração que ele passa praticamente o filme todo sozinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário