quarta-feira, 27 de julho de 2016

Life- Um retrato de James Dean

"Life", de Anton Corbjin (2015) O Cineasta Anton Cobjin lançou anteriormente "Control" (Filme sobre Ian Curtis, da banda Joy Division), "O Americano", com George Clooney e "Um homem mais que procurado", com Philip Seymour Hoffman. Aqui, ele se inspira em um fato real para poder se aprofundar na paixão pela fotografia, a profissão primeira de Anton Corbjin. Nos anos 50, às vésperas de lançar o filme "Vidas amargas", e ainda um mero desconhecido, James Dean se isola na fazenda de sua familia, em Iowa. Ele não se acostumou ao esquema profissional dos grandes estúdios, e nem se v&e encaixado no mainstream e em suas obrigações contratuais como ator. O fato curioso é que ele leva consigo o seu "Amigo", o fotógrafo Dennis Stock, da Revista "Life". Dennis acredita que James Dean irá bombar e pede um ensaio fotográfico para o seu editor chefe, que não crê que James Dean seja uma futura promessa como ator. Pela insistência, Dennis acaba convencendo o editor, e começa a preparar fotos onde procura revelar a "alma" do artista inquieto, que somente James Dean tinha na época. Tecnicamente, o filme é ótimo: bela fotografia e direção de arte. No entanto, o ritmo extremamente lento e a performance de Dane Dehaan, no papel de Dean, me incomodaram. Dane em momento algum transparece em cena o motivo de Dean ter se transformado em símbolo sexual: ele não tem carisma, não fica bonito em cena e para piorar, a maquiagem carrega em olheiras e palidez do personagem. Dane está totalmente sem sex appeal. O jeito de falar também incomoda bastante, parece que está fazendo uma paródia de James Dean. Robert Pattinson, no papel de Dennis, está mas contido, e não compromete. Fiquei até pensando se Pattinson não deveria ter interpretado James Dean no filme, já que a câmera é apaixonada por ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário