sexta-feira, 11 de março de 2011

Mistério na Rua 7


" Vanishing on the 7th street", de Ben Anderson (2011)

Suspense que narra a história de um acontecimento que acontece na cidade de Detroit, inexplicavelmente. Numa noite, as luzes da cidade se apagam. Tudo fica escuro. Os dias seguintes vão ficando com menos horas de luz do dia, até ficar completamente escuro.
As pessoas desaparecem, e em seu lugar, só ficam as roupas. Porém, 4 sobreviventes resistem às investidas de criaturas noturnas, espectros semelhantes aos espíritos de " Ghost".
São eles: um repórter (Heydan Christansen), uma enfermeira que luta desesperadamente em procurar o seu bebê (Thandy Newton) , um projecionista de cinema (John Leguizamo) e um menino , filho de uma dona de um bar que foi buscar ajuda na igreja e sumiu. Todos os 4 se encontram nesse bar, que tem luz gerada por um motor nutrido por combustível. Juntos, eles tentam sobreviver ao ataque das criaturas, e procuram manter a luz acesa o máximo de tempo posssível, enquanto tentam descobrir o que está acontecendo.
Esse filme parece um episódio do seriado " Além da imaginação". As questões são jogadas para o espectador, mas o filme acaba, e a gente fica sem saber de fato o que aconteceu. Quem são aqueles espectros? Porquê aquele final bíblico, á la Adão e Eva? O que acontece quando as pessoas se transformam em espectros? Tudo bem, entendo que os 4 sobreviveram porque de certa forma, eles estavam protegidos por alguma fonte de luz. Mas numa cidade com milhões de pessoas, só eles tinham alguma luz acesa? estranho, né???
A fotografia é correta, e favorece o clima de mistério do filme. Muita escuridão. A trilha sonora irrita, porquê é over e previsível, cheia de sons estridentes.
O elenco tenta dar veracidade à trama...mas não estão em seus melhores momentos. Quase todos estão histéricos e caricatos. Os efeitos são ruins: a cena do avião caindo é péssima, mal feita. Os espectros não metem medo, porquê a concepção deles é muito tosca. Igual aos espectros de " Ghost".
Uma pena, porquê o filme até tem um clima de mistério de tensão interessantes, mas o roteiro não ajuda. Mais incrível ainda, é que no currículo do cineasta Ben Anderson, tem o maravilhoso filme " O operário", com Christian Bale, esse sim, um filme que lida bem com o delírio e o surrealismo.



Nota: 7

Nenhum comentário:

Postar um comentário