quinta-feira, 15 de junho de 2017

Baywatch

"Baywatch", de Seth Gordon (2017) Diretor de filmes e seriados, Seth Gordon é um expert em comédias. Agora, ele faz uma versão cinematográfica do seriado de grande sucesso, que levou Pamela Anderson e David Hasselhoff ao status de ícones pop (em "Guardiões das Galáxias", David faz uma participação). Com um elenco estelar encabeçado por Zac Efron e Dwayne Johnson, o filme aposta bastante em ação e aventura, mas fazendo um híbrido com as comedias maliciosas dos anos 80, com piadas bastante sacanas envolvendo penis, bundas e seios fartos. Zac Efron é Matt, campeão olímpico dono de duas medalhas de ouro em natação, mas que entrou em decadência. Agora, ele tenta entrar no famoso time dos guarda-vidas de Baywatch, coordenado por Mitch (Johnson) e sua turma, que envolve beldades sensuais e destemidas. eles se envolvem com traficantes de metanfetamina, e precisam da união para poder destruir a quadrilha liderado por uma mega vila, a latina Leeds. O filme não tem o mínimo pudor em mostrar latinos e negros como vilões. E mais: para mostrar que estão cagando pro politicamente correto, todas as mulheres do filme são apresentadas em trajes sumários e vistas como objetos de desejo sexual. As feministas irão reclamar bastante, mas pelo que se viu no cinema, o publico não esta nem ai, a galera ria bastante. O filme em si tem uma ou outra piada engraçada, o que parece é que tudo foi feito para agradar um publico adolescente e infantil. Zac Efron e Dwayne apresentam a clássica dupla de justiceiros que não se combinam, e vivem as turras. eles estão divertidos. O filme, no entanto, é bastante longo, e eu em determinado momento já estava torcendo para que acabasse logo. A grande surpresa do elenco é John Bass, no papel do maluquinho Ronnie: ele parece um Fabio Porchat nos trejeitos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário