domingo, 25 de setembro de 2016

Os heróis do mal

"Los heróes del mal", de Zoe Berriatúa (2015) Drama espanhol produzido por Alex de La Iglesia, o papa dos Filmes B espanhóis. Aritz é um jovem estudante que sofre bullying na escola. Um dia, ao apanhar de um dos alunos, ele é salvo por Esteban. Os 2 tornam-se amigos, unidos pelo sentimento de tirarem a sua própria vida. Sara, uma Tomboy, se junta ao grupo e os três amigos marginalizados tonam-se inseparáveis. Juntos, eles se vingam de seus malfeitores e praticam roubos em supermercado, além e beberem e usarem drogas, se auto-intitulando "Os heróis do mal". No entanto, Esteban e Sara acabam se apaixonando, o que provoca uma crise em Aritz, que tem uma paixão platônica por Esteban. Mais um exemplar sobre o tema do bullying, que pela quantidade de filmes ainda a serem lançados, é um tema inesgotável. O eterno conflito entre os marginalizados X os dominadores ganha o elemento da violência estilizada que o produtor e cineasta Alex de la Iglesia venera em todas as suas produções. Cabe dizer também que os exageros dos seus filmes está impresso nas atuações, principalmente em Jorge Clemente, que interpreta Aritz. Ele esbanja caras e bocas, ao contrário de Emilio Palacios, no papel de Esteban, que lhe valeu um prêmio de interpretação no Festival de Malaga. Lá pelo final, o diretor Zoe Berriatúa homenageia Peter Greenaway, se apropriando do tema musical de Michael Nyman durante uma cena intimista. Vale a curiosidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário