sábado, 26 de dezembro de 2015

Quatro luas

"Cuatro lunas", de Sergio Tovar Velarde (2014) Dirigido e escrito pelo cineasta mexicano Sergio Tovar Velarde, esse drama premiado é composto de 4 histórias, cada uma representando uma fase da lua. Cada fase é protagonizada por um personagem gay de determinada idade, e todas as histórias giram em torno da aceitação sexual. Na 1a história, um menino de 11 anos enrustido sente atração pelo seu primo, mas descobre que ele é homofóbico e acaba sofrendo bullying. Na 2a história, 2 amigos heteros na faixa dos 20 anos se reencontram e se descobrem apaixonados em um momento de fraqueza emocional. Na 3a história, um casal gay na faixa dos 35 anos tem uma crise conjugal quando uma das partes acusa o outro de ser afeminado e acaba se afastando dele. Na 4a e última história, um professor enrustido de 60 anos se aposenta. Ele pega o dinheiro que iria dar para o presente de natal de seus netos e resolve pagar um garoto de programa na sauna gay que ele frequenta. Como todo filme mexicano, aqui o melodrama dá as caras. Se não fosse o bom trabalho de todos os atores, o filme não teria metade da sua qualidade artística. eles conferem dignidade a personagens sofredores, que vez ou outra se pegam chorando. Alternando momentos de drama com algum toque de humor, o filme emociona em várias cenas. Cada episódio reserva um momento clímax emotivo. Vez ou outra a narrativa dá uma resvalada para o puro novelão mexicano, mas esse tom "over" até diverte. Por contar tantas histórias, o filme acaba ficando longo. Poderia ter dado uma enxugada em cada episódio, mesmo porquê não são histórias tão extraordinárias assim e falam sobre momentos de crise dos personagens. No geral, é um filme que merece ser conferido, tanto pelo esmero da produção, quanto pela ousadia da direção, que não economizou em cenas de nudez frontal e de cenas de sexo. Nota: 7

4 comentários: