terça-feira, 18 de agosto de 2015

Pequenos acidentes

"Little accidents", de Sara Colangelo (2014) Em 2010, a Cineasta sara Colangelo dirigiu um curta chamado "Pequenos acidentes" e ganhou vários prêmios em Festivais. 4 anos depois, ela retoma o curta e o transforma em uma produção independente, a sua estréia em longas. Composta de 3 histórias que se entrecruzam, ambientada em uma cidade que vive da mineração do carvão na West Virginia, o filme remete bastante ao longa de Atom Egoyam, "Um doce amanhã". Ambos os filmes falam sobre perdas humanas. Em "Um doce amanhã', um ônibus escolar sofre um acidente e todas as crianças morrem, provocando dor profunda nos familiares que tentam seguir a vida. Em "Pequenos acidentes", 10 mineradores morrem dentro da mina de carvão. Tempos depois, o único sobrevivente, Amos ( Boyd Holbrook, a cara de Ryan Gosling) sai do hospital e seus colegas de trabalho esperam que ele delate os patrões e assim, ganharem indenização. Outra parcela dos empregados, que não tiveram perdas humanas, pede para que Amos não deponha contra, com medo que a empresa feche e todos percam o emprego. Paralelo temos a história de Diane (Elizabeth Banks), esposa de Bill ( Josh Lucas), o gerente da mineradora. A população acrdeita que ele seja o responsável pelo acidente. O casal tem um filho adolescente., JT. JT acaba se envolvendo em um acidente provocado pro Owen (Jacob Lofland, o menino de "Amor bandido", com Mathew MAccoughney) ), filho da viúva de um dos mineradores, Kendra ( Chole Sevigny) e que espera ganhar indenização. Todas essas historias vão se cruzando, em uma estrutura narrativa igual ao de "Crash", de Paul Haggis. A direção de atores de Sara é muito boa, todos os atores estão ótimos. O problema é o ritmo do filme, extremamente lento, e os acontecimentos que se desenvolvem muito placidamente. Em quase duas horas de duração o espectador vai se cansando de acompanhar tantas histórias e tantos personagens, ainda mais que o filme vai ficando cada vez mais depressivo e os personagens, mais letárgicos. Bela fotografia de Rachel Morrison, de "Fruitvalley station", realçando o tom melancólico do filme. Tivesse uns 20 minutos a menos, o filme teria sido mais interessante. Mesmo assim, foi exibido em Sundance e em muitos outros Festivais de Cinema. Nota: 6

Nenhum comentário:

Postar um comentário