domingo, 30 de agosto de 2015

O cidadão do ano

"Kraftidioten", de Hans Petter Moland (2014) Tarantino e os Irmãos Coen fazem escola na Noruega. Assim é "O cidadão do ano", um drama de ação sensacional, dirigido por Hans Petter Moland. O filme concorreu em Berlin 2014, e tem uma atuação arrazadora de Stellan Skarsgård, no papel do limpador de neve Nils Dickman. Ele vive uma vida pacata com sua esposa e filho, que trabalha no aeroporto. Um dia, uma gangue de traficantes mata seu filho acusando-o de ter roubado drogas. A polícia encontra o corpo e diz que ele morreu de overdose. Nils não acredita na possibilidade de seu filho ser um viciado e resolve ir atrás dos assassinos, e acaba se envolvendo não só com uma gangue, mas com duas: a gangue da Noruega e uma gangue de sérvios, que disputam o mercado. Divertido, repleto de humor negro, mas ao mesmo tempo investindo no drama familiar, "O cidadão do ano" encontra na narrativa do faroeste a essência para contar a sua história. Uma trilha sonora à la Ennio Morricone, muitos tiros, mortes ( as lápide svirtuais é um grande achado do filme. Cada pessoa que morre, surge uma lapide como crédito). As cenas de ação são ótimas, a fotografia enaltecendo o branco da neve é belíssimo e os atores, todos tirados de algum quadrinho cult, merecem destaque pela bizarrice. Tem até um casal gay enrustido de gangsters, e um dos chefões vive discutindo a relação com a ex. Quem achava que os europeus da escandinávia não tinham senso de humor, se enganaram. Claro, à moda deles. Um belo filme, protagonizado por um excelente ator e que ri da cara de filmes de ação americanos, por ser mais consistente e mais artístico. Nota: 8

Nenhum comentário:

Postar um comentário