sábado, 5 de fevereiro de 2011

Santuário 3D


"Sanctum", de Alister Grierson (2011)

Filme de ação baseado em fatos reais, produzido por James Cameron.
James Cameron fez desse filme uma espécie de laboratório, para testar a tecnologia de câmeras de filmagem 3d, que ele pretende usar na continuação de "Avatar".
O filme narra a história de um grupo de exploradores de cavernas, que fazem uma expedição na maior caverna acessível que existe, localizada no Pacífico Sul. A exploração é chefiada por Frank, sujeito arrogante, que não tem a simpatia de boa parte da equipe, principalmente de seu filho, Josh, de 17 anos. Uma tempestade tropical surge de repente, e o grupo fica preso na caverna, correndo o risco de morrerem afogados. O grupo resolve então percorrer a caverna, cheia de túneis e rios, com pouco oxigênio e suprimentos a disposição. A questão é sair da caverna, mas a medida que o grupo avança, parece ser uma tarefa impossível, e sobreviver é questão de tempo.
O filme alega ser baseado em fatos reais, mas pelo que vemos, parece pouco plausível a veracidade dos personagens. São tipos muito estereotipados. A verdade é que se baseia na história real de Andrew Wight, que chefiou uma expedição que também foi pega de surpresa numa caverna.
O roteiro pouco explora a dimensão dos personagens, dando lugar a tipos rasos, e a diálogos pouco inspirados.
Parece que a intenção do filme é apenas de criar um espetáculo para experimentar novas tecnologias. Dessa forma, fica mais clara a opção de trabalhar com atores pouco conhecidos, e também, com pouca experiência. A tensão do grupo exigiria atores mais bem preparados, que soubessem demonstrar o pânico e desespero de quem está prestes a morrer a qualquer momento. Não convencem.
A fotografia do filme é escura, afinal se passa quase todo nos subterrâneo e dentro da água. Mas usar os óculos 3D acabou prejudicando a visualização. Tiveram várias cenas que eu não consegui identificar o que estava ocorrendo.
Interessante como recentemente tivemos filmes que exploravam o tema do confinamento e da claustofobia: " Enterrado vivo", " 127 horas". Filmes que querem provar que a vontade de sobreviver suplanta qualquer dificuldade.
Essencialmente, " Santuário" é um filme de aventura e ação. Mas a trama da descoberta de pai e filho, que outrora se odiavam, e com as dificuldades, vão se descobrindo, já é bem batida. Até mesmo o recente " Tron, o legado", usou desse clichê, porém com resultados melhores.
Se valeu a pena assistir ao filme? Como passatempo, sim. Mas aviso que o 3D não me pareceu nada espetacular. Aliás, quase nem vi 3 D no filme.

Nota: 6



Nenhum comentário:

Postar um comentário