terça-feira, 10 de outubro de 2017

Bio

"Bio", de Carlos Gerbase (2017) Vencedor de 3 prêmios em Gramado 2017 ( Premio especial do juri, filme popular e desenho de som), "Bio" é um falso documentário, Um "Mockmentary", que nos faz lembrar de filmes como "Zelig", de Woody Allen, ou de "Prata esquecida", de Peter Jackson. O filme nos apresenta a um professor/cientista, que nasceu em 1959 e morreu em 2070. O filme é todo narrado através de pessoas que conviveram com ele: suas mulheres, filhos, professores, pais, amigos, etc. em momento algum, vemos a figura do professor. O filme trabalha com a fantasia, pois jea na parte final, o filme se apresenta como uma ficção cientifica, com Saturno povoado por terrestres. Os diálogos são divertidos e muito bem desenvolvidos. O elenco, composto por quase 40 atores, é formado boa parte por atores que já trabalharam com Gerbase em outros filmes dele, como Maitê Proença, Felipe Kannemberg, Mara Fernanda Candido, além de Bruno Torres, Rosane Mulloland, Branca Messina, Sharon Menezes, Marco Ricca, Zé Vitor Castiel, Werner Schunermann, entre outros. O espectador precisa estar bastante atento ao filme, pois ele é bastante verborrágico e aponta detalhes do biografado com muitos requinte, podendo o espectador se perder nos cruzamentos dos personagens. A fotografia, de Bruno Polidoro, é um verdadeiro primor, com belos enquadramentos e uma luz que exalta o olhar lúdico e misterioso do filme. Ótima computação gráfica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário