sábado, 13 de maio de 2017

Punhal

"Punhal", de Luiza Lubiana (2015) Longa do Espirito Santo, escrito e dirigido por Luiza Lubiana, é um raro exemplar de Cinema fantástico brasileiro. A sua trama se assemelha bastante ao filme concorrente ao Oscar estrangeiro de 2017, "Tanna", da Austrália. Em uma região remota nas montanhas, distante do centro urbano, vive uma comunidade religiosa. Com uma prática muito próxima ao budismo, os seus adeptos acreditam que os espíritos sentem fome e desejo. Prana (Isabella Camero) é a jovem escolhida pela comunidade para alimentar os espíritos. Ela está prestes a se casar com Ozu (Romulo Braga) , o poderoso do local. Tudo vai bem até que um dia, um jovem poeta e músico, Kaiki (Miguel Roncato) surge na região. Prana e Kaiki imediatamente se apaixonam. Com uma clássica trama de triângulo amoroso que termina em tragédia, "Punhal" tem seguido uma bela carreira em Festivais, muito por conta de sua trama inusitada e pela beleza das imagens e da trilha sonora. De baixo orçamento, o filme procura desvencilhar as questões orçamentárias através do elemento do lúdico na trama. Alguns efeitos surgem bastante ingénuos na tela, mas não chega a prejudicar a qualidade do filme. Os 3 atores principais estão bem em seus papéis, com destaque para o excelente Romulo Braga, que evita a caricatura do vilão. O ritmo, bastante lento, pode ser um empecilho para que o filme atinja uma platéia maior. Mas vale a curiosidade. O desfecho lembra bastante um conto de fadas, e a fotografia ajuda a dar essa atmosfera mágica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário