sábado, 13 de maio de 2017

Colossal

"Colossal", de Nacho Vigalondo (2016) Escrito e dirigido pelo Cineasta espanhol Nacho Vigalondo, é impossível não ficar pensando em Spike Jonze ou Charlie Kauffman durante todo filme. Bizarro, estranho, surreal, essa comédia dramática de ficção cientifica , protagonizado por uma Anne Hathaway sensacional, pode deixar muitos espectadores furiosos, pois o trailer vende um tipo de filme que ele decididamente não é. O Monstro que aparece no trailer, é uma metáfora da condição psicológica e temperamental de Gloria, personagem de Hathaway, que perdeu o emprego e o casamento por causa de seu alcoolismo. Morando em Nova York, Gloria se desentende com seu namorado Tim, que a expulsa de casa. Ele retorna para a sua cidade natal, e lá, reencontra um amigo de infância, Oscar. Ele é dono de um bar local e ela vai trabalha como garçonete. ela descobre que um monstro gigante está atacando a cidade de Seul, na Coréia do Sul, e pior, descobre que ela está conectada `a aparição do monstro, e somente ela pode faze-lo sumir. O filme, atenção, não é um filme de ação, apesar das cenas de ataque do monstro. E' um filme independente, co-produção Espanha e Canadá, e se não fosse uma ou outra aparição do monstro, poderia ser perfeitamente a tragicomédia de uma bêbada que perde tudo e tenta se reconstruir. Com ótima direção de atores, Nacho Vigalondo merece atenção especial somente pelo fato de convencer os produtores a investir em um filme tão estranho. O ritmo é lento, mas vale assistir. Anne Hathaway tem cada vez mais se mostrado uma atriz polivalente e repleta de nuances ( vide " O casamento de Rachel" e "Os Miseráveis"). Por ela, esse filme vale super a pena ser visto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário