quinta-feira, 18 de maio de 2017

Carne fresca

"Beefcake", de Thom Fitzgerald (1998) Divertido docudrama sobre os fotógrafos de nus masculinos nos Estados Unidos ultra conservadores dos anos 30 a 60. O filme foca atenção especial ao fotógrafo Bob Mizer, que criou a Revista AMG (Athletic Modeling guide). A revista, assim como a "Physique pictorial", foram criadas inicialmente para o publico que era fa de corpos de fisiculturistas, mas logo tornou-se alvo do publico gay, que consumia as revistas para ver os corpos desnudos. Era uma forma de driblar a censura da época. As revistas fizeram muito sucesso, assim como seus modelos, que em sua maioria, eram desempregados, atores frustrados e garotos de programa. Bob Mizer e sua mãe chegaram a criar alojamentos em sua casa, onde hospedavam os rapazes, e ali mesmo ele montou um estúdio fotográfico. No entanto, ele sofreu grave processo por parte dos garotos, que o acusaram de obrigar a fazer sexo com eles. Mizer faleceu em 1992, e se vangloriou de jamais ter realizado filmes de sexo explicito, o que foi desmentido logo depois. Com Direção de Thom Fitzgerald ( que dirigiu os bons dramas "Cloudburst", com Olympia Dukakis interpretando uma lésbica, e "Unidos pelo sangue" , o filme junta cenas ficcionadas com cenas reais de arquivo. Criativo, divertido e com uma bela direção de arte e fotografia vintage, "Carne fresca" é um filme ousado, repleto de imagens explicitas de nus masculinos. Curioso assistir a esse filme e pensar como a sociedade ficou careta. Bob Mizer foi um artista `a frente de sua época, que lutou contra a censura e a sociedade que o criticava por suas fotos. Um filme que vale ser visto pela sua originalidade e pelos curiosos depoimentos de modelos remanescentes da época, como o muso de Andy Warhol, Joe Dalessandro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário