sexta-feira, 17 de junho de 2011

Cinco dias sem Nora


" Cinco dias sin Nora", de Mariana Chenillo (2008)

José (Fernando Luján) descobre por um acaso que sua ex-esposa, Nora, com quem foi casado a 30 anos, se suicidou. De formação judaica, José descobre também que não pode enterrála, segundo a tradição judaica, por um motivo de feriado religioso: os judeus estão comemorando a Páscoa judaica, e os mortos devem ser enterrados imediatamente, caso contrário, somente após 5 dias. Como o seu filho Rubén se encontra em viagem, José decide aguardar o seu retorno. José descobre nesses 5 dias de espera, um passado desconhecido de Nora, uma suicida em potencial, desde que eram casados.
Bom drama mexicano, sensivelmente conduzido pela diretora e roteirista Mariana Chenillo. O elenco é o ponto alto do filme. Tanto os adultos quanto as crianças brilham em momentos de delicadeza e dramaticidade, com pinceladas tênues de comédia. O roteiro é curioso, e avança lentamente, e aos poucos descobrimos segredos do passado de Nora. O filme é quase um melodrama, mas a direção evita maiores sentimentalismos. O ritmo é lento, talvez o filme seja um pouco longo, mas o resultado final é válido. Vencedor de vários prêmios internacionais, somente agora, quase 3 anos depois, é lançado aqui no Brasil

Nota: 7

Nenhum comentário:

Postar um comentário