domingo, 11 de março de 2018

Outra história do mundo

"Otra historia del mundo", de Guillermo Casanova (2017) Co-produção Brasil/Uruguai, "Outra história do mundo" foi indicado pelo Uruguai `a uma vaga ao Oscar e ao Goya em 2018, mas não chegou `as finais. O filme é uma sátira política, muito comum na filmografia da America latina dos anos 70 e 80, descrevendo em forma de metáfora, uma crítica ao Governo local, repleto de corrupção, governantes déspotas e uma população pressionada pela falta de liberdade. Na fictícia cidade de Mosquito, vivem os amigos boêmios Milo (Roberto Suárez) e Esnal (César Troncoso). Quando o Coronel (Néstor Guzzini, de "Gigante"), se muda com sua família para c idade, ele impõe regras que afetam a vida da população, entre elas, que somente podem beber até as 22 horas. Os amigos resolvem pregar uma peca no Coronel, mas ele se vinga e prende Milo. Esnal e as filhas de Milo o procuram desesperadamente, pelos porões da ditadura, mas não o encontram. Esnal resolve voltar a lecionar na faculdade e ensinar aos jovens, através da fantasia, a se engajarem. Belamente fotografado pelo brasileiro Gustavo Hadba, o filme tem um primeiro ato e um desfecho brilhantes, mas seu miolo fica cansativo, por conta de uma edição um pouco arrastada. Mesmo assim, é um belo filme, muito bem dirigido e interpretado, que merece ser visto e discutido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário