domingo, 8 de novembro de 2015

Cidade ameaçada

"Cidade ameaçada", de Roberto Farias (1960) Belo drama policial em preto e branco dirigido por Roberto Farias em 1959 e que concorreu em Cannes no ano seguinte, mesmo ano de "La dolce vitta" de Fellini. No Brasil o filme recebeu inúmeros prêmios, mas comercialmente não fez tanto sucesso. Baseado na história do bandido Promessinha, que tocou o terror em São Paulo nos anos 50 com a sua quadrilha através de assaltos, o filme procura discutir a questão da moral e do perdão. Chamado de Passarinho no filme, é interpretado por Reginaldo Faria, o bandido está em um momento de crise de consciência: apaixonado pela sua amada Terezinha ( Eva Wilma), que pede para que ele abandone a vida do crime, Passarinho resolve praticar um último assalto que consiga segurar a sua onda e assim, poder constituir família. Mas a polícia e a imprensa estão no seu encalço. O filme tem uma fotografia extraordinária de Tony Rabatoni, que usa sombras claro escuro homenageando o gênero noir. Os enquadramentos também são muito originais para a época, mostrando que Roberto Farias buscava uma narrativa própria para contar a sua história. Diria até que se eu não soubesse que fosse um filme brasileiro, daria perfeitamente para passar por um filme de Robert Bresson ou de Elia Kazan, tal o apuro estético. Reginaldo Faria traz reminiscência de James Dean na composição do seu personagem amargurado. O filme polemiza ao mostrar compaixão do espectador para um marginal, romantizando a sua trajetória. Vale assistir e perceber como o Cinema nacional fazia ótimos filmes policiais, um gênero que aos poucos foi sendo abandonado na filmografia brasileira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário