quarta-feira, 8 de julho de 2015

O exterminador do futuro : Gênesis

"The terminator: Genysis", de Alan Taylor (2015) Aparentemente o filme que fecha a franquia, o filme dirigido por Alan Taylor, do excelente "Thor, o mundo sombrio", brilha pelo bom humor e pela bela homenagem que prestam ao grande astro da série, Arnold Schwarzenegger. Trazendo o tema do envelhecimento, com a ótima frase "Sou velho, mas não obsoleto", o filme traça um paralelo entre ficção e realidade e atesta a triste verdade: Arnold envelheceu. Para tantos fãs, o filme deve emocionar, ainda mais com os sorrisos "canastrões" que o personagem faz no filme. Arnold é o tipo de Ator bronco que sempre foi criticado pela sua atuaçao. Mas a sua imagem é tão forte, que os fãs nem ligam para isso. Ele é o verdadeiro motivo para se assistir ao filme. Claro, o filem ganha um super reforço do carisma de Emilia Clark ( A targaryan de "Game fo thrones"), no papel de Sarah Connors. O roteiro, criativo, porém confuso, brinca com a questão do tempo que podem ser alterado devido a alterações na trajetória do futuro ou passado. Nada muito original, um tema já copiado à exaustão por tantos outros filmes. Mas o que é o mais interessante, é como o roteiro trabalha com a inversão de expectativas, saindo do óbvio de alguns personagens e mudando o seu destino. Para quem viu o "Exterminador do futuro" original, o filme de 1984, vai tentar puxar pela memória personagens até então esquecidos e aqui recauchutados, como o Kyle Reese, que Michael Biehn interpretou no original, e que aqui coube ao ainda desconhecido mas carismático Jai Courtney. O filme está repleto de boas piadas com Arnold, e confesso que a melhor de todas está reservada numa cea de perseguição na auto estrada. Ri alto. Quanto ao elenco e roteiro, uma parte totalmente disperdiçada é referente à participação de J K Simmons, no papel de um policial dispensável à trama. Fora isso, gostei. Nada inovador, apenas uma homenagem, como já falei antes. Nota: 8

Nenhum comentário:

Postar um comentário