segunda-feira, 20 de agosto de 2012

My way- O mito além da música

"My way", de Florent Emilio Siri (2012)
Cinebiografia do cantor pop francês Claude François, que atingiu o auge da carreira artística nos anos 70, vindo a falecer em 1978, eletrocutado enquanto tomava banho em casa. Claude François nasceu em 1939 no Egito. Após a tomada do País por um regime ditatorial, e perdendo toda a sua fortuna, a família toda se muda para Mônaco. O pai de Claude o renega, por não concordar que ele se torne um músico. A máe de Claude é viciada em jogo, e perde todo o dinheiro e contrai dívidas. Após muita batalha e fracassos, e com obstinção em querer fazer sucesso, Claude finalmente consegue fama e sucesso, já quase no final dos anos 60. Muitas mulheres, entre elas a cantora teen pop France Gall, se encantam pela sua pessoa. Mas Claude se mostra um mulherengo, e se afunda em drogas, bebidas, e seu temperamento vai piorando, tratando todos os que o cercam com muita rispidez. Belíssima versão cinematográfica, nos moldes de "Piaf": Cinemão de primeira qualidade, requintada em todos os detalhes de produção. Fotografia, direção de arte, figurino, maquiagem, figuração...tudo é um luxo e glamour que a tempos eu não via em tela grande. O roteiro é ambicioso, abrangendo todas as épocas da vida de Claude François. Muitas cenas empolgantes, grandiosas e caras. Além disso, o diretor apresenta vários planos-sequências tecnicamente maravilhosos. Destaque para uma cena que Claude sai de casa de carro e vemos no percurso várias garotas correndo atrás dele, inclusive as vemos pelo espelho retrovisor. Outra cena espetacular é a da festa em sua casa, toda em plano-sequência. Os números musicais são impressionantes. O clip em que Claude dança com as dançarinas negras é bom demais, o auge da cultura pop. A cena em que ele recebe o disco com a gravaçào de "My way" também é emocionante. Idem para a sua apresentaçáo cantando "My way" em uma casa de espetáculos. Jeremie Renier, ator-fetiche dos irmáos Dardenne, faz aqui uma performance digna de ganhar prêmios. Ele está simplesmnete formidável, irrepreensível. Perfeccinista em cada detalhe, Renier assombra com a sua semelhança física com o cantor. As musicas apresentadas no filme são uma delícia de se ouvir, e aqui, confesso minha ignorância musical: não fazia idéia de que "My way" foi gravada originalmente por Claude. E que ele possui tantas músicas famossas. O único senão fica por conta da longa duração do filme, 2:30 hrs. Podia com certeza pelo menos meia hora a menos. Mas a sua beleza visual é tão grande, que qualquer desculpa é válida para se assistir a essa jóia do cinema francês. Nota: 8

Nenhum comentário:

Postar um comentário