sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Enter the void


Fabulosa experiencia cinematográfica dirigida por Gaspar Nóe, mesmo diretor de " Irreversível".Assim como seu filme anterior, esse é envolto em polêmicas. A história, simples, é pretexto para que Noé realize a busca por novas linguagens e provoque no especatdor efeitos sensoriais , que o personagem sente.
Um casal de irmãos orfaos, moram em Tokyo. A cidade é mostrada d euma forma feérica e causticante, recheada de neons e sordidez. O rapaz é traficante de drogas pesadas, e vende em night clubes. A moça trabalha como gogo dancer e tem um caso com seu chefe. O rapaz faz uso das drogas, e o filme mostra as suas experiencias : muito colorido, viagens psicodelicas. Até que ele resolve fazer uma entrega de drigas na boite THE VOID. Lá, ele é acuado por policiais, e acaba sendo morto. Até então, o filme não mostra o rosto do protagonista, apena svemos as suas costas. A partir de sua morte, a camera está sobre as cabeças das pessoas, como num ponto de vista do espirito dele.
Noé levou ao pé da letra essa sua forma de contar a historia. O filme é cheio de planos sequencias, planos com gruas maravilhosos, planos aéreos. É incrivel o trabalho da câmera. O único senão que faço, é a longa duração: quase 160 minutos. Uns 40 minutos a menos fariam um bem danado. MAs mesmo assim, vale a experiencia.

Nota: 8

2 comentários: