quinta-feira, 28 de abril de 2016

Ninguém quer a noite

"Nadie quiere la noche", de Isabel Coixet (2015) Baseado em fatos reais, esse drama dirigido pela espanhola Isabel Coixet, do excelente " Minha vida sem mim", é um épico sobre amor e a luta interna para aceitar as diferenças culturais. Josephine Peary ( Juliette Binoche) é a dedicada e amorosa esposa do explorador Robert Peary. Sabendo que o marido está prestes para encontrar o centro do Polo Norte, um grande feito para o ano de 1908, ela resolve viajar até o Artico e ir ao seu encontro. Porém chegando lá ela descobre que ele já seguiu com a expedição. Querendo estar ao lado dele, ela desobedece a orientação do guia, ( Gabriel Byrne) e insiste que quer ir ao encontro dele. Com a aproximação dos ventos do inverno, Josephine acaba isolada em uma cabana no meio do deserto glacial. Com ela, acaba ficando uma esquimó, Allaka ( a japonesa Rinku Kikuchi). Josephine a mantém longe, principalmente depois que descobre que ela é amante de Robert e está grávida. Mas o inverno chega e ela precisa lidar com o seu ódio e ciúme é juntas elas lutam contra a morte iminente. Com uma fotografia extraordinária de Jean Claude Larrieu, o filme foi rodado em estúdio e em locações na Noruega. A direção de Isabel procura amenizar as tintas exageradamente melodramáticas do roteiro, trazendo sutilezas e emoção na relação das duas mulheres. O ritmo é bastante lento, e a partir da meia hora de filme se torna um embate de interpretação entre Juliette e Rinku, duas excelentes performances. O desfecho é arrasador, e para palas afeitos a um bom novelão, vai amar bastante a historia . O filme abriu o Festival de Berlin 2015, mas não levou nenhum prêmio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário