quinta-feira, 19 de julho de 2012

Hasta la vista: venha como você é

"Hasta la vista", de Geoffrey Enthoven (2011)
Philip (o paraplégico), Lars ( O cadeirante com tumor terminal)e Josef ( o quase cego) são três deficientes que moram na Bélgica, totalmente dependentes de seus ppais, que vivem para eles. Nesse universo tão sem privacidade, os amigos teem um desejo: de visitar um puteiro em uma cidade da Espanha, para poderem perder a virgindade. O que parecia apenas uma fantasia assume ares de realidade quando os 3 juntam dinheiro e fogem, alugando uma van clandestina, comandada por uma motorista de poucas palavras. Os pais, desesperados, correm atrás dos fujões, enquanto a história se desenvolve em relacão ä amizade e conflitos dos 3 amigos e a motorista. Comovente filme belga, que através de uma história que parecia tão bizarra, faz acreditar na amizade e nos limites da convivencia humana, amparada por questões da dependencia fisica e emocional. O grande trunfo do filme é a atuacão do elenco, principalmente dos 3 amigos e da motorista, todos soberbos e altamente criveis. Se não fosse uma cena lúdica, que mostra os 3 atores sem as suas deficienias, eu teria acreditado que todos eles são ttealmente deficientes. É impressionante a performance. Mesma coisa a atriz Isabelle de Hertogh, que interpreta a motorista. Ela s emostra totalmente sme vaidades, fazendo um personagem dif;icil, que sofre bullying constantemente de Philip e Lars, que a xingam, pelo fato dela teoricamente não entender a lingua local. O filme é quase um road movie, e claro, nessa viagem, tinha que haver a famosa transformacao dos personagens. Filme de estrada é isso, é o divã de todo cineasta. A trilha sonora, a cargo do grupo Melvis and Papermouth, e claro, da musica romantica "Et si tu n'existais pas", de Joseph Dassin, que toca exuastivamente no filme. Nota: 8

Nenhum comentário:

Postar um comentário