quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

O espião que sabia demais


" Tinker Tailor Soldier Spy", de Tom Alfredson (2011)

Baseado em livro de John le Carré, famoso autor francês que escreveu muitos best sellers sobre o mundo da espionagem na década de 70 ( inclusive, ele é um dos produtores do filme), "O espião que sabia demais" é ambientado em 1973 , durante o período da GGuerra Fria. A tensão política entre União Soviética e o Ocidente estava no auge.
George Smiley (Gary oldman) é um agente do serviço secreto britãnico, prestes a se aposentar. Porém, um incidente com um dos agentes na Hungria faz com que George volte à ativa. Ele precisa descobrir, entre os agentes que servem o CIRCO, uma alta patente do serviço secreto, que está traindo a corporação. Entre os suuspeitos, encontra-se Bill (Collin Firth).
Para isso, George precisa empreender viagens e em ir em busca da verdade, enquanto mortes vão acontecendo.
Dirigido por Tomas Alfredson, mesmo diretor da obra-prima " Deixa ela entrar", o filme tem como principal obstáculo o seu confuso roteiro. O espectador fica boiando praticamente o filme todo: uma profusão de personagens, que o espectador leva tempo atté assimilar a relação entre todos, e o nome de cada um. A montagem , não linear, também ajuda a criar essa complexidade.
A direção de Tomas é boa, mas infelizmente o filme não tem ritmo, tornando o filme um exercício de paciência. A parte técnica do filme é excelente: Fotografia, Direção de arte, figurino, trilha sonora, a cargo de Alberto Iglesias, mesmo autor de " A pele que habito".
O elenco é uma questão á parte. Gary Oldman, envelhecido pro papel, confere dignidade ao personagem. John Hurt aparece pouco , e o restante do elenco de apoio funciona a contento. Minha consideração fica por conta de Collin Firth. Até as 2 primeiras metades da história, ele praticamente faz figuração, sem ter importância alguma na trama. De repente, seu personagem cresce, e fica claro que o roteiro construiu dessa forma para manipular o espectador.
Várias referências óbvias ao cinema de Hitchcock.
Um filme que eu adoraria ter amado: amo " Deixa ela entrar", amo filmes de espionagem. Mas esse ficou devendo.

Nota: 6

Nenhum comentário:

Postar um comentário