domingo, 29 de janeiro de 2012

Millenium- Os homens que não amavam as mulheres


" The girl with dragon tattoo", de David Fincher (2012)

Refilmagem americana do filme sueco homônimo, por sua vez baseada em um livro best seller, " Millenium".
Mikael (Daniel Craig) é um jornalista, que trabalha para uma editora, Millenium, comandada por Erika (Robin Wright), também sua amante. Mikael é processado por um político corrupto, que o acusa de difamação. Mikael não tem provas para incriminar Wageningen e cai em desgraça. Afundado em dívidas e na depressão, ele é contratado por um milionário, Henrik (Christopher Plummer), que quer saber do paradeiro de sua sobrinha, Harriet, que sumiu a 40 anos. Em troca, Henrik diz que dará a Mikael provas que possam incriminar Wigenengen. Mikael aceita o trabalho, e se muda para uma cidade distante de Estocolmo, para uma casa situadaa nas terras de Henrik. Aos poucos, Mikael descobre que o sumiço de Harriet pode envolver familiares dela. Paralelo, ele acaba pedindo auxílio a uma hacker, Lisbeth (Roney Mara), uma jovem violenta e anti-social, que entre várias reviravoltas na vida pessoal, se dedica a descobrir com Mikael o assassino de Harriet e de outras mulheres.
Brilhante adaptação de Ficher, que conseguir a proeza de fazer uma adaptação ainda melhor que o original, que já era ótimo. O filme é logngo, ma svai seduzindo o espectador lentamente. A fotografia é um deslumbre, favorecendo o branco e cinza da região gélida. Os atores , composto de grandes nomes, estão todos fabulosos, com destaque absoluto para Roney Mara, que foi indicada ao Oscar 2012, e que até então, tinha papéis em produções de terror B, como a refilmagem de " A hora do pesadelo", e um pequeno papel em " A rede social".
A trilha sonora é foda, dando um clima de constante tensão. A edição de som, inteligente, suja o filme com sons estranhos.
A parte técnica é impressionante: montagem, direção de arte, figurino. Tudo remete a um filme noir, maldito. assustador.
O filme remete a outros clássicos do gênero suspense, como " O silencio dos Inocentes" e " Seven", do próprio Fincher. A cena final dentro da casa é tensa, e provoca arrepios.
Vale notar a homenagem que os produtores fizeram a Daniel Craig, fazendo uma paródia de James Bond nos créditos iniciais.

Nota: 9

Nenhum comentário:

Postar um comentário