terça-feira, 12 de outubro de 2010

Um lugar qualquer (Somewhere)


Exercicio de drama intimista de Sofia Coppola, mais radical que ENCONTROS E DESENCONTROS. Aqui, ela abusa de Antonioni, na questao da incomunicabilidade. Muitos planos longos, sem ação, só imagens, a melancolia, o tempo morto, onde nada acontece. Uma critica feroz ao culto das celebridades, Sofia desconstroi essa vida glamurosa dos atores. ALgumas cenas são antologicas:a da moldagem da mascara de envelhecimento, o da entrega do premio na tv italiana. Stephen Dorff e Ellen Fanning estão soberbos, e o filme exala tristeza. A trilha sonora é deliciosa, e a fotografia belisssima. Atenção, repito: o filme tem um ritmo muito lento, e Sofia provoca o espectador em cenas longas sem ação.
Vale dizer tb que o filme é uma especie de releitura de Encontros e desencontros. E fica obvio tb que existe muito de autobiografico no filme, na relação de SOfia e seu pai Coppola, quando ele filmava mundo afora, carregando Sofia pequeninha por paises exoticos. VAzio existencial e frieza narrativa, esses são os temas de Sofia

Nota: 9

Nenhum comentário:

Postar um comentário